Ano após ano, fazendo história no Carnaval Paulistano

Grêmio Recreativo Cultural Escola de Samba Leandro de Itaquera é uma escola de samba localizada no bairro de Itaquera, Zona Leste da cidade de São Paulo.

Foi fundada em 3 de março de 1982.

O símbolo da escola é o Leão representando força e liderança, as cores oficiais são o vermelho (garra) e o branco (paz).

Um desejo inusitado deu origem a escola de samba Leandro de Itaquera. Karin Darling pediu ao seu pai, Leandro Alves Martins, como presente de aniversário, uma escola de samba. E assim foi feito.

A ascensão da vermelha e branca da Zona Leste, região mais populosa da cidade de São Paulo, foi rápida. Em apenas seis anos, já figurava entre as agremiações do Grupo Especial do Carnaval paulistano.

Década de 1980

Em 1988, seis anos após sua fundação, a Leandro de Itaquera já vencia o Grupo 1, classificando-se para a primeira divisão do samba em 1989. Pela primeira vez no Especial, a escola conseguiu o sétimo lugar, com o enredo "Babalotim", interpretado por Eliana de Lima e a bateria comandada por Mestre Lagrila, um dos grandes nomes entre os ritmistas da cidade e o único a receber o título de Mestre dos Mestres.

Década de 1990

Em 1990, homenageou seu bairro, Itaquera, e após um belo desfile na Avenida Tiradentes, classificou-se em quinto lugar entre dez escolas.

No ano de 1991, obteve sua melhor classificação, ficando em quarto lugar, com o enredo "Querem Acabar Comigo", que criticava a exploração das riquezas naturais brasileiras.

Em 1994, conquistou o um quinto lugar com o enredo, "Tietê - Um Rio de Verdade", colocação que se repetiu em 1999.

No ano seguinte, entre 10 escolas, a Leandro de Itaquera ficou em 9º lugar, sendo rebaixado para o Grupo de acesso. Vence o Grupo de Acesso do ano posterior e em 1997 estava de volta ao Grupo Especial para competir com as escolas mais tradicionais.

Década de 2000

Em 2001, A Leandro de Itaquera contrata o Carnavalesco Milton Cunha que faz o Enredo: "Os Seis Segredos do Ariaú". O Desfile impressiona por uma Cobra gigante de mais de 180 metros de comprimento.

Em 2004, a escola inovou ao trazer para a avenida duas baterias, sob o comando de Mestre Adamastor. A novidade não foi bem recebida pelos jurados e a escola recebeu notas baixas neste quesito. Com isso, a ideia não tornou a ser repetida nos carnavais posteriores.

Em 2005, a agremiação escolheu o Rotary International como tema de seu carnaval, aproveitando as comemorações mundiais de 100 anos de fundação desta entidade internacional.

Já em 2006, tornou a abordar o Rio Tietê. No entanto, dessa vez a agremiação causou polêmica ao colocar no último carro alegórico uma alusão política. A crítica ganhou maior repercussão pelo fato de aquele ser ano eleitoral. Nesse ano, a escola acabou novamente rebaixada.

Em 2007, no desfile em que comemorava e cantava seu jubileu de prata, a Leandro de Itaquera surpreendeu ao público trazendo na comissão de frente o próprio presidente da escola.

No ano seguinte, com um enredo falando sobre a Revolta dos Malês, conquistou o vice-campeonato do grupo de acesso, voltando ao Grupo Especial em 2009.

No carnaval de 2009, a escola decidiu homenagear a atriz e comediante Regina Casé, com o enredo: "Leandro de Itaquera faz a festa da periferia. Salve salve, nossa rainha Regina Casé". A atriz participou do desfile que foi elogiado pela crítica e rendeu a 12ª colocação entre 14 escolas, mantendo-se no Grupo Especial.

Década atual

Em 2010, homenageou suas próprias cores: "Sob um manto de amor e paz, sou Leandro de Itaquera desfilando o Vermelho e Branco no meu carnaval". Nesse desfile, trouxe uma intérprete ilustre, Sandra de Sá. Teve muitos problemas durante o seu desfile, no final da apuração ficou em 14º lugar, sendo rebaixada.

De volta ao Grupo de acesso em 2011, a escola contou a história das bebidas, em diversas formas, em seu carnaval. Ficando em 5º lugar, permaneceu no mesmo grupo para o carnaval de 2012.

No ano seguinte a Leandro trouxe o enredo sobre o Meio Ambiente, contratou o carnavalesco Orlando Júnior, que era carnavalesco da Tradição escola do Rio De Janeiro. Neste ano a Leandro quase conseguiu a vaga para o Grupo Especial ela ficou com 179,3 pontos, empatada com sua co-irmã Tatuapé mas perdendo no critério de desempate.

Em 2013, veio com um enredo afro "O leão guerreiro mostra a sua força!". A Leandro de Itaquera desfilou com todo seu alto astral e a sua garra como é de costume. Na apuração se consagrou Vice-campeã, levando nota máxima em quatro dos nove quesitos, Alegoria, Harmonia, Samba Enredo e M.S.P.B, conseguindo a vaga vitoriosamente para o Grupo Especial no ano seguinte.

Para o ano de 2014 a escola da Zona Leste  abriu os desfiles de sexta-feira do grupo especial com um enredo que abordou o futebol e a Copa do Mundo FIFA de 2014. A agremiação apresentou um samba enredo animado que contagiou o Anhembi porém, durante o seu desfile pegou uma forte tempestade de granizo, comprometendo diversos quesitos como Evolução,  Fantasia e Bateria o que foi inevitável a sua queda para o grupo de acesso ficado na 14° colocação.

De volta ao Grupo de Acesso para o Carnaval de 2015, a Leandro voltou com os temas de enredo afros "Invencível" com abordagem no legado deixado por Nelson Mandela, pelo segundo ano seguido o enredo foi desenvolvido pelo carnavalesco Marco Aurélio Ruffinn. Com um desfile empolgante era claro que a agremiação brigaria pelo título, mas no fim o Leão ficou apenas com a 4° colocação.

Em 2016, a Leandro apresentou o enredo "Rainhas de todos nós, mulheres guerreiras! Ê, Baiana..." Com suas bênçãos, a Leandro conta sua história e celebra o centenário do samba. Apesar da garra da comunidade, o desfile foi aquém do que se esperava e acabou terminando em 6° lugar.

Para o carnaval de 2017, a escola anunciou a reedição de "Babalotim - A história dos Afoxés". Apesar das dificuldades financeiras vividas pela escola e um desfile com erros em vários quesitos, a Leandro consegue continuar no Grupo de Acesso terminando em 5º lugar.

Para 2018 a Leandro trouxe de volta dois nomes importantes sendo o carnavalesco Orlando Júnior e o interprete Juninho Branco. A Escola da Zona Leste apresentou o enredo "A celebração da solidariedade no mundo. Onde há necessidade, há um leão”. Fez um desfile original porém enfrentou problemas com alegoria e fantasias, na apuração ficou em 6º lugar.

Em 2019 montou uma comissão de carnaval e anunciou o enredo "Ubatuba. O reconto do caboclo sob a luz do luar", o tema aborda o amor de uma índia por um negro escravo. Dessa paixão, nasce o caboclo Ubatuba, personagem central da história e entidade da Umbanda, da falange de Oxalá. O desfile decorreu sem erros e a escola termina em 7º lugar.

Seu Leandro

Pai da Escola de Samba Leandro de Itaquera e seu presidente desde sempre.

Carnaval 1991

Sua melhor classificação, ficando em quarto lugar, com o enredo "Querem Acabar Comigo", que criticava a exploração das riquezas naturais brasileiras.

Carnaval 2009

Com o enredo: "Leandro de Itaquera faz a festa da periferia. Salve salve, nossa rainha Regina Casé". A atriz participou do desfile que foi elogiado pela crítica e rendeu a 12ª colocação.

Carnaval 2018

Apresentou o enredo "A celebração da solidariedade no mundo. Onde há necessidade, há um leão”. Cantou a solidariedade e fez um desfile original.

© 2019 Leandro de Itaquera. Todos os direitos reservados  |  Website criado com samba no pé

Rua Palmerino Calabrese, 178  |  Itaquera  |  São Paulo  |  SP  |  08230-060 - Brasil
Tel: +55 (11) 2057-5457  |  Cel: +55 (11) 999 637 249